Saturday, September 16, 2006

Suster a respiração. Ninguém para me segurar a mão.


Craigie Horsfield
em exposição no Centro de Arte Moderna, na Fundação Calouste Gulbenkian

12 Comments:

Blogger Fábio said...

Que expressividade.
A solidão é assustadora.
Não ter uma mão.... como pesa.

4:58 PM  
Blogger António said...

Olá!
Um excelente instantâneo que nos deixa adivinhar o drama da velhice (ou de certas velhices, solitárias).
Obrigado pelo teu comentário.
É bom saber que te fiz rir.
(e espero que também saibas rir na tua velhice)

Beijinhos

7:38 AM  
Anonymous Anonymous said...

A retribuir a visita e encontro um olhar terno, marcado pela vida e pela injustiça.

Espero ter sempre uma mão para dar...

8:14 AM  
Blogger SK said...

A necessidade para respirar é ainda mais imperiosa do que se julga. :)

2:26 PM  
Blogger SK said...

de e não para respirar.

2:26 PM  
Blogger angi said...

Expirar devagar. Sentir o abraço que poderia tão bem ter lugar. Há braços tão compridos. Estás a deixar que sejam cumpridos?

3:10 PM  
Blogger BlueShell said...

Fiquei aqui parada a reflectir...

O meu post de ontem....sei que um dia vou acabar só! irremediavelmente só e sem ninguém para me segurar a mão!

beijo azul...de uma concha que ...por ser azul...é diferente das demais!

BlueShell

8:51 AM  
Blogger Sílvia Alves said...

magarça, obrigada por passares.
o teu blog é de facto oportuno como o dia que referes (todos).

;) é bom encontrar pessoas e abraçá-las mesmo que com palavras!

8:54 AM  
Blogger Meia Lua said...

A fotografia é ver o mundo pelos olhos de quem a tira... especial e faz-nos pensar. Engraçado como cada um vê à sua maneira a mesma fotografia. Gosto :)

12:58 PM  
Blogger vague said...

Ao vê-la, pensei que, como tantas outras, esta foto não precisa de título ou legendas, tal a força que tem. Mas ao ler o nome que lhe deste vejo que está em sintonia perfeita e discreta, se estes adjectivos se podem aplicar no contexto do silencioso desespero da solidão abandonada...

7:28 PM  
Blogger Rita Oliveira Dias said...

Como sabes se aquele jovem não é o neto? Se calhar acabou de a abraçar, o que não pode é dar-lhe mais tempo, mais saude. Abraço

10:47 AM  
Blogger peixinho da horta said...

A velhice é assustadora. Não ter quem nos dê atenção mais ainda. A solidão... é aterradora. Pior do que isso é quando estamos rodeados de pessoas e, ainda assim, esse sentimento existe. Queremos sempre alguém que nos compreenda...

7:52 AM  

Post a Comment

<< Home